O que é DLT (Distributed Ledger Technology), qual a diferença entre DLT e blockchain e quais são os 3 tipos de rede, Redes Públicas, Redes Privadas, Redes de Consórcio (Consortium Networks). Qual a relação entre Real Digital e DLT e por que a Hyperledger Besu para o Real Digital.

O que é DLT (Distributed Ledger Technology) e como se relaciona com o Real Digital?

calendar_month 06/06/2023

Os termos “DLT” e “blockchain” estão cada vez mais presentes no mundo das criptomoedas e tecnologias financeiras. Embora sejam frequentemente utilizados como sinônimos, eles possuem diferenças específicas. 

Neste artigo, vamos explorar o significado de DLT (Distributed Ledger Technology), explicar como ele difere do blockchain e discutir sua relação com o Real Digital, a nova moeda digital anunciada pelo Banco Central do Brasil. 

Vamos mergulhar nesse assunto e entender melhor o que é DLT e como ele se aplica ao Real Digital!

O que é DLT (Distributed Ledger Technology)?

DLT, ou Tecnologia de Registro Distribuído, é um sistema de armazenamento de dados distribuído por uma rede de computadores. 

Diferente dos bancos de dados centralizados, em que as informações são controladas por uma autoridade central, a DLT permite que os dados sejam compartilhados e atualizados de forma independente pelos nós participantes da rede. 

Essa descentralização elimina a necessidade de confiar em uma instituição central e oferece maior transparência e segurança nas transações financeiras.

Qual a diferença entre DLT e blockchain?

Embora toda blockchain seja uma forma de DLT, nem toda DLT é uma blockchain

A blockchain é um tipo específico de DLT que utiliza uma cadeia de blocos para armazenar e organizar as transações

Os blocos contêm informações verificadas e são encadeados através de criptografia, tornando difícil a alteração de dados anteriores. 

Por outro lado, outros tipos de DLT utilizam estruturas de dados diferentes para armazenar as transações e podem adotar mecanismos de consenso distintos.

Quais são os 3 tipos de rede?

Existem três tipos principais de redes utilizadas em DLTs:

Redes Públicas

São redes abertas a qualquer participante e permitem que qualquer pessoa participe da validação e manutenção do registro distribuído. 

Exemplos famosos de redes públicas são o Bitcoin e o Ethereum.

Redes Privadas

São redes restritas, em que o acesso é controlado e limitado a um grupo específico de participantes. 

Essas redes são frequentemente utilizadas por organizações ou consórcios para facilitar transações entre membros selecionados.

Redes de Consórcio (Consortium Networks)

São redes semi-privadas que permitem a participação de um grupo selecionado de nós. 

Essas redes são utilizadas quando há a necessidade de compartilhar informações confidenciais entre organizações ou entidades que possuem uma relação de confiança pré-estabelecida.

Qual a relação entre Real Digital e DLT?

O Real Digital é a moeda digital que está sendo desenvolvida pelo Banco Central do Brasil, chamada de Drex. 

A escolha da rede Hyperledger Besu para a implementação do Real Digital demonstra o uso da tecnologia DLT nesse projeto. 

A Hyperledger Besu é uma aplicação que permite a implementação e desenvolvimento da blockchain do Ethereum dentro da DLT da Hyperledger. 

Isso significa que o Real Digital utilizará a estrutura de uma blockchain, com a segurança e confiabilidade associadas a essa tecnologia, porém, em uma rede permissionada e com acesso restrito

Dessa forma, apenas os reguladores, como o Banco Central e outras instituições financeiras autorizadas, terão acesso às informações.

A escolha da DLT para o Real Digital baseia-se em seus benefícios e recursos. 

A DLT oferece um sistema descentralizado e transparente, no qual as transações podem ser registradas e validadas de forma confiável. 

Além disso, a DLT proporciona maior eficiência, redução de custos e maior segurança em comparação com os sistemas tradicionais.

Por que a Hyperledger Besu para o Real Digital?

Ao utilizar a Hyperledger Besu, que é uma aplicação híbrida, o Banco Central do Brasil pode combinar os benefícios da blockchain do Ethereum com a capacidade de operar em uma rede privada e permissionada

Isso permite que as transações do Real Digital sejam registradas tanto na camada pública quanto na camada privada da rede.

A Hyperledger Besu funciona como um banco de dados que processa e registra as transações de forma normal, porém, apenas o registro final é publicado na rede pública.

Todos os detalhes e informações sensíveis permanecem protegidos na camada privada, acessíveis apenas para as partes autorizadas.

Com a implementação do Real Digital utilizando a DLT, o Banco Central do Brasil busca trazer mais transparência, segurança e eficiência para o sistema financeiro. 

Além disso, a utilização da DLT pode abrir caminho para o desenvolvimento de novas aplicações e serviços financeiros inovadores no futuro.

Para resumir a DLT

A Distributed Ledger Technology (DLT) é uma tecnologia de registro distribuído que oferece transparência, segurança e eficiência para transações financeiras. 

Embora o termo seja frequentemente associado ao blockchain, é importante entender que nem toda DLT é um blockchain. 

Existem diferentes tipos de redes, como públicas, privadas e de consórcio, que podem ser utilizadas em projetos de DLT.

No caso do Real Digital, a escolha da rede Hyperledger Besu como plataforma para a moeda digital do Banco Central do Brasil demonstra a aplicação da DLT nesse projeto. 

A Hyperledger Besu combina a tecnologia blockchain do Ethereum com uma rede privada e permissão, garantindo a segurança e confidencialidade das transações.

À medida que essa tecnologia continua a evoluir, podemos esperar que mais projetos e aplicações financeiras aproveitem os benefícios da DLT para transformar a maneira como conduzimos transações e interagimos com o dinheiro digital.

Portanto, a DLT desempenha um papel fundamental no desenvolvimento do Real Digital e outras iniciativas semelhantes, abrindo caminho para uma nova era de transações financeiras mais eficientes, transparentes e seguras!

Quer ficar por dentro de tudo o que acontece no universo cripto?

Siga a Liqi nas redes sociais:

➜ Instagram: https://www.instagram.com/liqibr/

➜ YouTube: https://www.youtube.com/@LiqiDigitalAssets/

➜ LinkedIn: https://www.linkedin.com/company/liqidigitalassets/

➜ Tik Tok: https://www.tiktok.com/@liqibr

➜ Twitter: https://twitter.com/liqibr

Aproveite para conhecer o SITE da Liqi:https://www.liqi.com.br/

Outros artigos

O que é Alienação Fiduciária, Para que serve a Alienação Fiduciária, Como funciona a Alienação Fiduciária nos investimentos, O que é Cessão Fiduciária, Para que serve a Cessão Fiduciária, Como funciona a Cessão Fiduciária nos investimentos, Vantagens e desvantagens da Alienação e Cessão Fiduciária

O que é Alienação Fiduciária e Cessão Fiduciária: para que servem e como funcionam?

“Alienação Fiduciária” e “Cessão Fiduciária”  são dois termos frequentemente utilizados quando o assunto é investimentos e...

17/05/2024

Saiba mais
A relação entre taxa e rating no Descompliqi a plataforma de conteúdos da Liqi com Decio Bapttista

O que é Rating?: taxa, risco e retorno | Decio Bapttista

Decio Bapttista (Sócio Fundador da Liberum Ratings) aborda a função do rating de crédito e sua importância na avaliação do risco associado a...

10/05/2024

Saiba mais
O que é a área de Token Capital Market (TCM) e como está estruturada; Quais são as principais mudanças que a tokenização traz para o mercado de crédito; Quais são os benefícios para as empresas que optam por antecipar seus recebíveis por meio da tokenização; Como funciona a estruturação de crédito usando a tokenização? É diferente das abordagens tradicionais; E como isso se aplica para a securitização; Quais os principais benefícios; Como a Liqi garante a segurança e a transparência das operações de tokenização realizadas em seu mercado; Quais são os critérios utilizados para avaliar a viabilidade de um ativo financeiro para tokenização; Quando falamos em redução de custos, a gente tem como falar mais ou menos; Qual é o papel da regulamentação na promoção do crescimento do mercado de tokenização de crédito; Como a tokenização pode contribuir para a liquidez do mercado de crédito; Qual a sua visão sobre a tokenização enquanto recurso de crédito no Brasil nos próximos anos; Quais são os diferenciais competitivos da Liqi em relação a outras empresas que atuam no mercado de tokenização de ativos financeiros

O potencial do mercado de crédito tokenizado e a área de Token Capital Market da Liqi

André Pina (Chief Business Officer na Liqi) apresenta o que é a nova área de Token Capital Market (TCM), como ela está estruturada, as principais...

08/05/2024

Saiba mais

Saiba das novidades cripto antes de todo mundo!

Assine a nossa newsletter semanal e receba todas as atualizações sobre o mercado que nunca para.